domingo, 4 de setembro de 2011

CERÂMICA

CERÂMICA

A argila queimada é utilizada em todas as sociedades - das mais antigas às consideradas "primitivas", passando pelo Oriente e Ocidente - para a realização de objetos decorativos, utilitários e outros de fins rituais. A cerâmica ainda esta presente em muitos objetos cotidianos



Definição
O termo (do grego keramos, "argila") refere-se à manufatura de objetos em barro, posteriormente cozidos. De acordo com o material utilizado e com a técnica empregada, classifica-se a cerâmica em terracota (peça de argila cozida no forno, sem ser vidrada, embora, às vezes, pintada)


 História

Os estudiosos localizam as primeiras cerâmicas no século 5.000 a.C., na região de Anatólia (Ásia Menor), que passam a integrar, a partir daí, as mais diversas culturas, distantes no tempo e no espaço. Em cada uma delas, por sua vez, alcança diferentes segmentos sociais: das camadas mais pobres e inferiores na hierarquia social, aos estratos superiores. Na Grécia, entre 1.000 e 330 a.C., oleiros e decoradores, sempre homens, realizam peças de cerâmica, pintadas em geral com cenas de batalhas e de conquistas. A cerâmica chinesa, entre 550 e 480 a.C., liga-se à tradição religiosa, aos ritos e cultos. O viajante Marco Polo (1254 - 1354), chama a atenção para a beleza da porcelana chinesa, que se difunde na Europa através de Veneza, nos séculos XIV e XV. Não apenas objetos, mas também técnicas chinesas chegam ao Ocidente, que começa a fazer uso delas já no século XVI. Os procedimentos de feitura da porcelana chinesa chegam logo ao Japão, que auxilia também a difundi-los.

Cerâmica grega

A cerâmica grega é uma das mais conhecidas manifestações artísticas dessa civilização.
Normalmente a cerâmica grega era decorada com pinturas com temas do dia-a-dia, mitológicos ou eróticos.Essas pinturas poderiam ser em figuras negras, figuras vermelhas, toda em preto (com ou sem detalhes brancos), entre outros.


Mundo Helênico - A Cerâmica Grega
Pintura Grega - Cerâmica





Ânfora de Exéquias, figuras negras, ca. 530 a.C., Museu Gregoriano, Vaticano.


Os gregos fabricavam vasos com decoração pintada para quatro finalidades principais:


1) Como recipientes de armazenagem de ampla capacidade, para se guardar: água, vinho, azeite, mantimentos secos, etc.; para isso, usavam a ÂNFORA e a HÍDRIA.


A ânfora era um vaso grande de cerâmica, com duas asas simétricas e fundo pontiagudo, usado para armazenar azeite, vinho e água.


Ânfora de figuras vermelhas, ca. 530 a.C., Museus do Vaticano.


A hídria era um vaso grande com bojo arredondado de três asas: duas asas horizontais na parte lateral (para levantá-la) e asa vertical na parte posterior (para ajudar a despejar o líquido). Era usado, como diz seu nome, para armazenar água.





Hídria de figuras vermelhas, atribuída a Aquiles pintor, ca. 450 a.C., Museus do Vaticano.








Hídria de figuras vermelhas, ca. 490 a.C., atribuída ao "pintor Berlim", Museus do Vaticano.

Podemos colorir este lindo vaso grego basta imprimir





Veja alguns videos sobre a cerâmica grega












Cerâmica japonesa 




Período Jomon (10500 - 300 a.C.)

A vida era tribal, as pessoas viviam em clâs chamados UJI.


Período Jomon (10500 – 300 a.C.)
A vida era tribal, as pessoas viviam em clâs chamados UJI.
A cerâmica com marcas de corda denota que a sociedade já era sedentária.
A cerâmica com marcas de corda denota que a sociedade já era sedentária.
Figura Dogu, produzida durante o período Jomon
Figura Dogu, produzida durante o período Jomon
Estatuetas Dogu
Estatuetas Dogu
Durante o período Jomon ao invés de pintar figuras nas peças como faziam outras culturas, os ceramistas japoneses representavam a figura desejada na modelagem da peça, conferindo à cerâmica um aspecto escultural.
Período Yayoi (300 a.C. – 300)

Cerâmica feita com um tipo de torno por influência estrangeira; as peças são menos plásticas e esculturais.
Cerâmica do Período Yayoi
Cerâmica do Período Yayoi
Período Kofun (248 – 646)
O termo Kofun se originou de túmulos em forma de fechadura construídos em colinas.
A sociedade começa a se tornar feudal e começa a ser necessária a defesa militar dos feudos nos quais os UJI estavam se transformando.
Casa Haniwa, Museu Nacional de Tóquio.
Casa Haniwa, Museu Nacional de Tóquio.
As figuras Haniwa são um importante documento histórico, pois mostram como a sociedade japonesa já era militarizada.
As figuras Haniwa são um importante documento histórico, pois mostram como a sociedade japonesa já era militarizada.



Hajiki ou haji: louça de barro que deu origem à louça popular tradicional, usada por todas as classes; produzida do período Kofun até o Heian (794-1185), possuía função prática e ritual. Podia ser deformada propositalmente.
Hajiki ou haji: louça de barro que deu origem à louça popular tradicional, usada por todas as classes; produzida do período Kofun até o Heian (794-1185), possuía função prática e ritual. Podia ser deformada propositalmente.
Sueki ou sue (grés): fornos mais modernos, simétricos, influência chinesa que chegava até o Japão pela Coreia.
Sueki ou sue (grés): fornos mais modernos, simétricos, influência chinesa que chegava até o Japão pela Coreia.
Sueki / Sue (grés)
Sueki / Sue (grés)
O estilo hajiki era popular e plebeu. O sueki, aristocrata e mais acabado. Eles não sofreram mudanças com o passar do tempo.
Voce pode colorir um vaso japones




ORIGEM DA CERÂMICA NO BRASIL

No Brasil, a cerâmica tem seus primórdios na Ilha de Marajó. A cerâmica marajoara aponta à avançada cultura indígena que floresceu na ilha. Estudos arqueológicos, contudo, indicam a presença de uma cerâmica mais simples, que indica ter sido criada na região amazônica por volta de 5 mil anos atrás.

A cerâmica marajoara era altamente elaborada e de uma especialização artesanal que compreendia várias técnicas: raspagem, incisão, excisão e pintura. A modelagem é tipicamente antropomorfa, embora haja exemplares de cobras e lagartos em relevo. De outros objetos de cerâmica, destacavam-se bancos, estatuetas, rodelas-de-fuso, tangas, colheres, adornos auriculares e labiais, apitos e vasos miniatura. Mesmo desconhecendo o torno e operando com instrumentos rudimentares, o índio criou uma cerâmica de valor, que dá a impressão de superação dos estágios primitivos da Idade da Pedra e do Bronze.
Dessa forma, a tradição ceramista não chegou ao Brasil com os portugueses ou na bagagem cultural dos escravos. Os índios aborígines firmaram a cultura do trabalho em barro quando Cabral aqui aportou. Por isso, os colonizadores portugueses, instalando as primeiras olarias, nada de novo trouxeram, mas estruturam e concentraram a mão-de-obra.
O processo empregado pelos aborígines, no entanto, sofreu modificações com as instalações de olarias nos colégios, engenhos e fazendas jesuítas, onde se produzia tijolos, telhas e louça de barro para consumo diário. A introdução de uso do torno e das “rodadeiras” parece ser a mais importante dessas influências, que se fixou especialmente na faixa litorânea dos engenhos, nos povoados, nas fazendas, permanecendo nas regiões interioranas as práticas manuais indígenas. Com essa técnica, passaram a ser fabricadas peças com maior simetria na forma, acabamento mais aprimorado e menor tempo de trabalho.


vamos ver um pouco desta arte autentica 



Aprofundando o conhecimento

Vamos ver tambem um pouco da ceramica dos povos indigenas de Minas


Beach Boy no Jogos do Dia




VAMOS JOGAR

Agora voce pode ser um indio com sua zarabatana numa grande missao
Beach Boy no Jogos do Dia



Jogos de Tiro ao Alvo no Papa Jogos

Dragon Warrior
Salve a aldeia indígena, com a ajuda do guerreiro índio enfrente muitos inimigos e use suas habilidade para derrota-los.


Jogos de Ação e Aventura no Papa Jogos

Nenhum comentário: